Seleção

As 10 coisas que toda “mãe solteira” precisa saber!

Ajuda para mães solteiras 54378

Com seis meses de gravidez, o namorado revelou que estava apaixonado por outra e queria terminar o relacionamento. Nesse momento, Paula percebeu que cuidaria da sua filha sozinha. Ele aproveitava sua fragilidade. Em um ano e meio, ela foi agredida três vezes. Foram as consultas com a psicóloga que a ajudaram. Foi nesse contexto que ela teve a Baixinha, apelido carinhoso que deu para sua filha. O pai chegou a registrar a menina, mas a visitou pouquíssimas vezes nos primeiros meses.

Luisa Mell e seu 1º livro infantil “Se Os Bichos Falassem: Austrália”

Padecer no paraíso em dobro? Mas exatamente hoje penso como deve ser restante leve essa jornada para quem tem alguém ao lado no dia a dia. Na antiga escolinha da minha filha, para mim, no começo, idade difícil falar, por exemplo, para os pais dos amiguinhos dela que eu era sozinha. E nem era por culpa deles. Ninguém nunca me julgou. Esse eco da família ideal inconscientemente me acompanhou na vida adulta. Chega até a ser tragicômico. Eles passam pelos mesmos percalços? Era esperado que as mulheres tivessem filhos, ficassem em casa, fossem prendadas.

Isabelly Trans

Esses dias perguntamos no nosso perfil no Instagram blogjustrealmoms o que nossas seguidoras gostariam de ler aqui no blog. Quando se tem filhos, na maioria das vezes, os pais naturalmente se dividem de acordo com suas próprias personalidades: um acaba sendo mais mole e bonzinho e o outro faz o papel do mais rígido. A psicóloga e escritora Dra. Olga Tessari. É preciso cuidar de si, tem que ter tempo de ir ao cabeleireiro, ler um livro, sair, copular novas pessoas, se relacionar e mesmo assistir novela.

Leave a Reply

Your email address will not be published.